Arbitral “morno” define fórmula e data de início do Candangão 2018

Reunião foi relativamente tranquila e os dirigentes escolheram mudar pouco no formato do candangão. Foto: Haland Guilarde

Foi realizado na manhã desta segunda-feira o primeiro arbitral que reuniu os doze clubes para definição do formato do Campeonato Candango 2018. Apesar das previsões de que o tempo pudesse fechar durante a reunião, o arbitral correu sem tumultos ou bate-boca. Talvez porque os itens digamos mais “conflituosos” tenham ficado para outras reuniões (novo arbitral dia 6 de Outubro e Assembléia Geral da FFDF dia 15).

Representaram os clubes Eduardo Ramos (Brasiliense), Ari de Almeida (Ceilândia), Weber Magalhães (Gama), Major Elias (Paracatu), Neimar Frota (Samambaia), Cassildo Cassiano (Formosa), José Marcelino (Bolamense), Rivo Matias (Paranoá), Túlio Lustosa (Sobradinho), Heraldo Cabral (Santa Maria), Fábio Silva (o Bola, Luziânia) e Luis Filipe Belmonte (Real). Quem presidiu a reunião foi o Vice Presidente da Federação Daniel Vasconcelos ao lado de Márcio Coutinho e Pedro Massena (ambos do Departamento Técnico de Futebol).

 

 Em pouco mais de uma hora de reunião foram definidos dois pontos importantíssimos na construção do Candangão 2018: o formato e a data de início. Por maioria a fórmula do Campeonato Candango da Primeira Divisão de 2018 obedecerá os mesmos moldes da temporada passada: na primeira fase, 12 clubes jogam entre si em jogos somente de ida. Os oito melhores se classificam para as oitavas de final e os dois últimos são rebaixados para a segunda divisão de 2019. O pontapé inicial do candangão está programado para o dia 20 de Janeiro de 2018.

Daí em diante é começam as mudanças. A partir das oitavas de final, os quatro melhores ranqueados na primeira fase da competição levam a vantagem de jogar por dois resultados iguais no mata-mata. Até esta temporada a classificação era decidida nos pênaltis. Não há vantagens extras como gol qualificado (marcado pelo visitante). E o mando do segundo e decisivo jogo classificatório do mata-mata segue com o melhor ranqueado. A regra vale para as Oitavas de Final, Quartas e Semifinais.

No entanto para a fase final os pênaltis voltam a ser decisivos. Os jogos decisivos seguem sendo realizados no Mané Garrincha sem vantagem para qualquer um dos finalistas. E em caso de igualdade no placar de ambos os jogos o título será decidido nos pênaltis. O campeão e o vice garantem vaga na Copa do Brasil e série D de 2019. Já o terceiro e quarto colocado se classificam para participar da Copa Verde.

TABELA

Uma novidade na tabela deste ano é que os confrontos serão definidos por sorteio e não por ranking como era usual nas últimas temporadas. Os doze clubes serão divididos em dois potes de seis times: Pote A (os melhores colocados na última temporada: Brasiliense, Ceilândia, Paracatu, Sobradinho, Gama e Santa Maria) e Pote B (os demais clubes incluindo os que subiram para a primeira divisão: Real, Formosa, Luziânia, Paranoá, Samambaia e Bolamense). Como são onze rodadas, os times do Pote A começam e terminam a primeira fase como mandantes. O sorteio será realizado no segundo arbitral a ser realizado no dia 6 de Outubro na sede da Federação de Futebol do DF.

Comentários

comentarios