Batata quente

Vice-presidente Daniel Vasconcelos (ao lado de Erivaldo) ficará responsável pelo arbitral

fNesta segunda (4) está programado para ocorrer o arbitral que definirá os rumos do Candangão 2018 com a participação de representantes dos doze clubes da primeira divisão. Além da costumeira tensão que sempre envolve a reunião, alguns pormenores devem contribuir para que os dirigentes entrem em conflito.

A recente lambança do Departamento Técnico no caso dos Juniores acendeu o sinal de alerta quanto à capacidade da Federação organizar a principal competição candanga. Por ter mais de dois anos, o regulamento poderá sofrer mudanças no formato do campeonato. E há conversas de bastidores que os dirigentes do Ceilândia e Samambaia estariam insatisfeitos com a gestão de Erivaldo Alves, presidente da FFDF.

E caberá ao Vice Presidente da Federação Daniel Vasconcelos reger a reunião ao lado de Márcio Coutinho – o Careca. O ex-cartola do Luziânia assume a cadeira do presidente que está em férias. Em conversa com o BLOGAMA, Daniel afirmou que espera que os dirigentes se comportem de tal forma a entrarem em consenso visando a próxima temporada: “Neste arbitral discutiremos a forma de disputa com os doze clubes e a data de início também. A Federação vai apresentar a sua proposta e quem tiver outra também pode estar apresentando que iremos discutir o que será melhor para o futebol candango. Espero que dia 4 todos possam ir para o arbitral, levem suas propostas, que coloquem em votação e que seja tudo decidido da melhor forma possível. Porque é isso que nós precisamos, tentar fazer uma união para tentar tirar o futebol candango da situação que está”. A Federação deverá propor a continuidade do modelo atual apenas com um diferencial: o fim das decisões eliminatórias por pênaltis e a vantagem do empate pelo clube melhor ranqueado na fase classificatória.

Daniel disse que quer aproveitar o tempo à frente da Federação para elaborar uma tabela de tal forma a evitar as famosas mudanças de datas e horários: “Estive conversando com o Márcio Careca e com o Pedrinho (Pedro Masseno Ferreira do Departamento Técnico de Futebol) e como assumi nas férias do Presidente, quero dar a minha contribuição do pouquinho que aprendi no futebol também para que a gente possa fazer as coisas de forma mais organizada, mais transparente no futebol. Inclusive esta questão da tabela, tentar montar e evitar de ficar mudando jogos em cima da hora, por que isso é ruim para o campeonato, ruim para a imprensa, torcedores…A gente tem essa questão da Globo (emissora que detém os direitos de transmissão do campeonato), é uma questão de organização. Só com isso é que teremos condições de correr atrás de patrocínios e fazer que as empresas queiram investir no futebol de Brasília”. 

 

Comentários

comentarios