Bezerrão só em 2018

Gama e Brasiliense foram julgados na noite desta terça-feira (21) pelos fatos ocorridos no último clássico válido pela nona rodada do Campeonato Candango 2017. Em julgamento que durou mais de cinco horas e varou a madrugada, os auditores ouviram jogadores, árbitros, testemunhas e advogados de ambos os clubes para no final anunciarem as penas. Por ter sido mandante, o Gama levou a pior e ficará cinco vezes sem poder mandar jogos no seu estádio (Bezerrão).

Com isso, o Periquito somente voltará a atuar em seu estádio no ano que vem. Caso se classifique para as finais, o Periquito teria quatro mandos (Real pela primeira fase, Oitavas de Final, Quartas de Final e Semifinais). O julgamento teve cobertura em tempo real por meio do Twitter do Blogama.

O Procurador do TJD pediu pena máxima para todos os envolvidos graças à grande repercussão criada na mídia. De fato, o Tribunal ficou lotado de jornalistas do DF e do Brasil todos ávidos para saber qual seria a resposta da entidade para o ocorrido naquele domingo no estádio Bezerrão. O primeiro a ser ouvido foi o juiz Almir Camargo que afirmou não ter verificado falhas na segurança oferecida pelo Gama.

Depois um a um os jogadores foram ouvidos. O técnico Rafael Toledo e o meia Souza serviram de testemunha pró-Brasiliense. Detalhe: todo o elenco do time amarelo compareceu ao julgamento e ficaram “empilhados” no corredor do prédio onde funciona o TJD. Depois foi a vez dos atletas do Gama darem suas versões da briga. A defesa do Periquito encabeçada pelo advogado Wendel Lopes tentou desmontar o argumento do procurador utilizando uma súmula do STJD que livrou Palmeiras e Flamengo durante confrontos ocorridos no Mané Garrincha em 2016.

Ao final o relator do processo decidiu penalizar os jogadores e membros da comissão técnica. Por ter sido o pivô da confusão, o atacante Nunes do Brasiliense levou a maior pena (6 jogos de suspensão). Os demais (Maringá, Dudu Gago, Eduardo José, Raone, Paulinho Fernandes, Roberto Pitio todos do Gama além de Fernandes, Gabriel e Elcarlos do Brasiliense) levaram 3 jogos de suspensão. O Tribunal ainda penalizou o treinador de goleiros do Jacaré (Guto) a dois jogos de suspensão. Com algumas divergências os demais auditores seguiram o relator.

Com relação às multas, o relator decidiu impôr uma pena de R$ 33 mil ao Gama e R$ 11 mil ao Brasiliense pelo comportamento de suas torcidas. E finalmente a perda de cinco mandos de campo para o alviverde mas felizmente com portões abertos ao público por meio de venda de ingressos. À princípio o Gama pode mandar jogos em qualquer estádio do DF ou entorno menos o Bezerrão. O Acórdão deverá ser publicado nesta quinta-feira no site da FFDF.

 

Comentários

comentarios