E o regulamento do Candangão? Ninguém sabe, ninguém viu

Arbitral que definiu a nova mudança | Foto: Kada Esportes

A cada dia fica mais difícil defender o Candangão. Mais um episódio lamentável entrou para o rol de amadorismos do campeonato local. Já nas quartas de final, diretores de clubes e a Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) decidiram rasgar o regulamento de 2017 e mudar a ordem dos confrontos para a semifinal.

A mudança é a seguinte: os oito clubes entram “zerados” nas quartas de final, os confrontos da semifinal serão definidos unicamente pelo desempenho nas quartas – ou seja, a classificação da primeira fase não faz diferença.

Por exemplo: caso o Ceilândia, primeiro colocado na primeira fase, passe com dois empates e vitória nos pênaltis e o Brasiliense, segundo colocado, passe com duas vitórias e bom saldo de gols, o confronto será entre Ceilândia e Brasiliense, com a “vantagem” do segundo jogo “em casa” para o time amarelo – que nesse caso é irrelevante, já que ambos mandam suas partidas no Abadião.

O regulamento do campeonato de 2017 deixa explícito que o chaveamento estaria fixo. Sendo as semifinais na seguinte ordem: Ceilândia/Luziânia x Sobradinho/Santa Maria e Gama/Paracatu x Real/Brasiliense. Veja na íntegra o parágrafo 4º do capítulo II do regulamento do Candangão 2017:

Parágrafo 4º – Na terceira fase (semifinal), as 04 (quatro) equipes classificadas na fase anterior, realizarão jogos de ida e volta de acordo com o seguinte critério: vencedor do jogo 67/71 versus vencedor do jogo 70/74 e vencedor do jogo 68/72 versus vencedor do jogo 69/73, com mando de campo da segunda partida para a equipe maior pontuação obtida na fase anterior.

O motivo da mudança seria a alteração do regulamento sem cumprir o prazo mínimo de dois anos estabelecido pela CBF. O regulamento pode ser mudado no arbitral antes do campeonato, mesmo que não tenha cumprido o prazo mínimo, se houver a homologação do Ministério do Esporte.

“Quem conhece futebol sabe que tem que ser mantido os dois anos desse regulamento, a gente só corrigiu e deixou o mesmo do ano passado”, disse Neimar Frota, diretor de futebol da FFDF em áudio em grupo de whatsapp.

Acontece que o regulamento do ano passado, que não deixava explícito quais os confrontos das semifinais, era totalmente diferente do que querem fazer para esse ano. Em 2016, por causa de uma brecha no parágrafo 4º do capítulo II, ficou decidido em arbitral que os confrontos seriam 1º/8º x 3º/6º e 2º/7º x 4º/5º. Veja na íntegra o parágrafo 4º do capítulo II do regulamento de 2016:

Parágrafo 4º – Na terceira fase (semifinal), as 04 (quatro) equipes classificadas na fase anterior, farão jogos de ida e volta, com mando de campo da segunda partida para a equipe de maior pontuação anotada na fase anterior, persistindo a igualdade em número de pontos e saldo de gols, a partida será definida através de cobranças de pênalti.

“Ano passado o empate 1 a 1 e 2 a 2 era pênalti, nesse não”, disse Neimar. Só que no regulamento do Candangão de 2017 fica claro no capítulo IV art. 6º: “Nas segundas partidas das quartas de final, semifinal e final, ocorrendo empate no tempo normal de jogo computados os 180 minutos, e persistindo a igualdade em número de pontos e saldo de gols, a partida será definida através de cobrança de pênaltis”.

Questionado sobre quem teria feito a mudança no regulamento desse ano, Neimar não soube responder e ainda declarou “ninguém leu o regulamento todo, veio ler agora, quando leu viu o erro, que esse parágrafo tinha mudado”.

Resumindo: O regulamento de 2017 foi alterado sem ninguém saber (alteração que era apenas a correção de um erro). Querem corrigir algo feito certo com a justificativa de que tem de permanecer no erro, mas não basta continuar, tem que aumentar o erro.

Entendeu? Não? Pois é, esse é o Candangão.


Clique aqui
e veja o regulamento do Candangão 2017

Clique aqui e veja o regulamento do Candangão 2016

 

 

 

Comentários

comentarios