Jogo de Campeonato Candango é impedido por “pelada”

Foto: Haland Guilarde

Mais um triste capítulo do Futebol Candango foi escrito neste domingo no Centro de Treinamento do Jaguar localizado às margens da pista que liga Brazlândia à Taguatinga. O jogo Atlético Taguatinga x Gama válido pela segunda rodada do Campeonato Candango Feminino deixou de acontecer por um motivo inusitado: o local marcado pelo clube mandante e Federação já estava sendo utilizado por equipes amadoras. Os atletas que estavam no local se recusaram a deixar o gramado e o juiz decidiu cancelar a partida do Campeonato Feminino. Para completar o proprietário do CT Edmilson Marçal teria chegado pouco tempo depois e com arma em punho “solicitou” aos jogadores que deixassem o local.

Com isso a decisão sobre o jogo entre as equipes femininas vai parar nos Tribunais. No outro jogo da rodada, o Ceilândia foi derrotado pelo Minas Brasília pelo placar de 4×0.

Várzea da Várzea

Tudo começou na última quinta-feira (16) quando a Comissão de Arbitragem confirmou o jogo Atlético Taguatinga x Gama para o CT do Jaguar às 16h. No entanto no dia seguinte o clube mandante teria pedido alteração no horário de jogo para as 10h. O Gama assim como o trio de arbitragem foi comunicado da mudança.

O Gama então saiu às sete horas da manhã rumo ao CT do Jaguar e encontrou o trio de arbitragem e as atletas do Atlético Taguatinga. Só havia um problema: o campo designado para ocorrer o jogo estava sendo utilizado por atletas amadores (o outro campo do CT estava sem marcação). Mesmo com pedidos dos responsáveis pelo time feminino e da arbitragem, os atletas amadores se negaram a deixar o local porque teriam alugado e pago pelo uso do espaço (R$ 300,00).

A arbitragem esperou o tempo legal previsto na legislação e deu por cancelado o jogo do Campeonato Candango. As equipes amadoras seguiram jogando. Depois de as duas equipes femininas deixarem o local juntamente com a arbitragem, o ex-presidente do Atlético Taguatinga e proprietário do CT Edmilson Marçal compareceu ao local e mandou todo mundo se retirar. Os jogadores amadores chegaram a chamar a Polícia Militar e foi registrado um Boletim de Ocorrência na 18ª DP.

Na ocorrência, a guarnição da PM relata que encontrou Marçal portando uma arma de fogo no bolso e usando colete à prova de balas sendo conduzido para a Delegacia em seguida. Populares disseram que Marçal chegou ao local apontando a arma para todos os presentes dizendo que a propriedade do local era dele e que ninguém iria jogar ali. Em seguida todos correram na direção contrária.

Na Delegacia, Marçal que é Promotor de Justiça aposentado afirmou que a arma era sua mas que ainda não havia feito a transferência formal.  Ao BLOGAMA, Marçal afirmou que foi vítima de uma terceira pessoa. Esta pessoa que segundo ele é seu conhecido teria alugado o campo sem sua autorização e propiciado toda a confusão.

O Presidente do Federação de Futebol do DF anunciou uma reunião com todos os clubes que disputam o Campeonato Feminino para apurar o que houve e tomar as medidas cabíveis relacionadas aos fatos. A reunião está marcada para esta terça-feira (21) às 14h na sede da FFDF.

Comentários

comentarios