Mais do Mesmo

Demitido em 2016, Vilson de Sá (Esq.)volta a ser Diretor de Futebol do Gama

Apesar do discurso de mudança, a Diretoria do Gama acena com a manutenção do modelo de futebol instituído a mais de cinco anos no alviverde. Após reunião na noite desta quinta-feira, Vilson de Sá (ex-Santa Maria) foi readmitido como Diretor de Futebol do Gama. Junto com Vilson chegam Erick Moura e Antônio Caputo ex-dirigentes do Atlético Taguatinga.

Vilson já era visto com frequência no CT Ninho do Periquito juntamente com Erick e Caputo o que alimentava a especulação de que o trio já estaria fechado com a Diretoria apesar das negativas do presidente Weber Magalhães. Mas o nome do ex-dirigente não foi unanimidade: parte da Diretoria apoiava a contratação de Rodrigo Lima ex-Diretor do Luziânia bicampeão candango de 2014 e 2016.

O histórico entre Gama e Vilson de Sá é marcado por turbulências. Era Vice-presidente em 2011 quando renunciou ao cargo juntamente com Carlos Macedo e Agrício Braga. O pivô da briga foi a saída mal explicada do jogador Leandro 93 para o Grêmio-RS após ser profissionalizado no Capital-DF.

A ausência de Vilson durou pouco. Em 2013 foi efetivado como Diretor de Futebol na gestão de Tonhão. Em 2015 foi campeão candango depois de uma seca de doze anos sem títulos alviverdes.

Mas a paz durou pouco. Em 2016 uma briga entre o pseudo-empresário Léo Silva e o dirigente acabou desgastando a relação com o presidente. Foi demitido por Tonhão após o empate sem gols diante do Santa Maria pela segunda fase do Candangão. O motivo teria sido a contratação do técnico Arthur Bernardes que acabou sendo desastrosa para o Periquito com a perda do título da Copa Verde e a eliminação nas semifinais do Candangão.

Neste ano, Vilson surpreendeu e acertou com o Santa Maria para o Campeonato Candango. Tanto o Gama quanto o Santa acabaram eliminados na segunda fase do Campeonato.   

 

Comentários

comentarios